16 novembro 2013

Resenha - Jogos Vorazes: Em Chamas

Jogos Vorazes: Em Chamas (The Hunger Games: Catching Fire)
Direção: Francis Lawrence
Paris Filmes

Estreou no Brasil neste final de semana, um antes de todo o resto do mundo, a segunda parte da saga Jogos Vorazes, Em Chamas , que está saindo a apenas um ano e meio da primeira parte (Jogos Vorazes, que também já resenhamos aqui). Nesse meio tempo, não só a saga ganhou muita fama, como Jennifer Lawrence passou de promessa a queridinha da América, com um Oscar em mãos. Como se isso já não fosse o suficiente, a mudança de diretor deu ao filme ainda mais expectativa: Gary Ross, do primeiro, foi substituído por Francis Lawrence, de Água para Elefantes e Eu sou a Lenda, mas conhecido principalmente como um dos maiores diretores de videoclipes da atualidade. Nesse ponto, a produção muda completamente de figura: as câmeras tremidas e a saturação com intenções subjetivas de Ross saem, e entra uma fotografia moderna e eficiente, com jogos de luzes e tomadas de perspectivas aéreas, mostrando Lawrence como um diretor muito mais estético. Isso só veio a acrescentar com o orçamento do dobro do primeiro filme, o que fez com que toda a falha em direção de arte e efeitos especiais do primeiro funcionasse muito bem aqui. Se engana, porém, quem acha que isso proporcionou um filme artificial: o roteiro é muito fiel ao livro, que tem um desenvolvimento muito original e bem amarrado, além de clímax e gancho final muito eletrizantes (literalmente). Jennifer também não deixa a peteca cair e vai bem das cenas de drama às de ação - pena que não seja o caso do resto do elenco jovem, principalmente da interprete de sua irmã mais nova. A história, no geral, tem muitos acertos por abordar os elementos políticos da narrativa surgindo de forma sequencial e muito clara, o que resulta num filme denso, mas sem nunca entediar o espectador. Em Chamas é então tão competente quanto seu predecessor, ou talvez até mais, pois não só assegura-se a levar Jogos Vorazes a condição de produção épica, mas também não tem medo de trazer novos elementos que fazem com que esse filme seja por si só uma grande e belo blockbuster.